5 perfis de marketing digital para você seguir

Se você trabalha com o universo digital, que vive em constante mudança, ou é apenas apaixonado por assuntos que envolvam redes sociais, com certeza já ouvir falar destes quatro profissionais que listamos. Com mais de 1 bilhão de usuários ativos, o Instagram tem inúmeros perfis comerciais inovadores, bacanas e inspiradores. Por isso, separamos alguns que são referência no ramo que atuam. Pronto para novos insights?

A escola de branding foi fundada pelas irmãs Bárbara, Débora e Julia Alcântara, coautoras do livro “Instagram Skills”, naturais de Curitiba/PR. As irmãs trabalham com Marketing Digital e Criação de Conteúdo desde 2009, e já saíram na “Forbes Under 30” em 2018, na categoria empresarial. Além disso, são donas de outras quatro marcas, palestrantes do TEDx, vencedoras do prêmio “PINI DESIGN” e Top Voice LinkedIn 2018.

Escritora, consultora e palestrante nas áreas de Marketing Digital, Inovação e Educação. Formada em Engenharia, Marketing, Desing Gráfico e Artes ela coleciona títulos e conquistas. Autora de seis livros, inclusive o best seller “Marketing na Era Digital” e finalista do Prêmio Jabuti 2014 com “[email protected]: a (r)evolução digital da educação”. Palestrante de 5 “TEDx”, Keynote Speaker Internacional com mais de 70 palestras no exterior e premiada três vezes como melhor palestrante em congressos nos Estados Unidos. Listada entre os 50 profissionais mais inovadores do mundo digital brasileiro pela revista “ProXXIma” e rankeada entre os “Top 50 Marketing Blogers” mais influentes do mundo pelo KRED. Além de apresentadora do “Mundo Online” na Rádio Jovem Pan e da websérie “Caminhos da Inovação”, da Desenvolve SP, ela é CEO e professora de MBS e pós-graduação na PUC-SP, Insper, ESPM entre outras instituições. 

Aos 27 anos a produtora de conteúdo e youtuber, moradora e natural de São Paulo, conversa com mais de 625 mil inscritos no canal que leva seu nome, no YouTube, e com seus 686 mil seguidores no Instagram. Embora ela tenha iniciado a carreira há 10 anos, como blogueira do “Radioactive Unicorns”, atualmente aborda temas como comportamento, empreendedorismo e carreira no cenário digital. Além de ser a voz por trás do podcast “Eu Penso Demais”, com vídeos sobre planejamento, estratégia e atuação, ela ensina técnicas para quem também quer ter as redes sociais como profissão. 

Formado em cinema pela FAAP (Fundação Armando Alvares Penteado), em São Paulo, diretor e produtor da “Enfim Filmes”, fundador e CSO da “WTF Maison”, empreendedor, palestrante, diretor criativo, produtor de conteúdo há mais de 8 anos, youtuber e dono do quadro “O Bigode na Cozinha” no canal da Danielle Noce, sua esposa e sócia, que conta com quase 3 milhões de inscritos no YouTube. 

O casal, reconhecido pela referência no mundo digital e empreendedor, conta com parceria de grandes marcas como Bradesco, Latam, Jaguar é conhecido por negociar projetos completos de influência digital. Paulo e Dani são as vozes por trás do “O Podcast”, eleito o melhor podcast do ano pelo “Digital Awards Brasil”, onde recebem convidados para falar sobre criação, marcas, conteúdo e tudo que envolver o mercado digital.

A histórias destes quatro influenciadores são inspiradoras e suas ações mais ainda. Não perca tempo, esteja ainda mais imerso no universo digital. Acompanhe nossas sugestões e se apaixone cada vez mais por esse mundo que vive em constante crescente e mudança! 

Live: quando e porquê fazer uma?

O que você tem feito para se distrair neste período de isolamento em casa? Provavelmente, tem passado mais tempo nas redes sociais, escutado mais músicas e visto cada vez mais filmes/séries. No mês de março o Instagram revelou ao site Business Insider que as lives tiveram um aumento de 70%. No Brasil, este aumento chegou a 50%. Se você é ativo na rede social, recebe diariamente notificações informando o início de uma transmissão ao vivo.

Se você tem o objetivo aumentar o engajamento de uma página, realizar uma live é uma ótima pedida. Se bem traçada, a troca de experiência em tempo real é excelente para captar novos leads. O número de lives aumentou, mas isso não significa que a qualidade e os objetivos que as norteiam também. Sim, infelizmente, nem todas as conversas ao vivo contam com um planejamento e propósito por trás. O simples ato de ligar a câmera e começar a falar precisa vir acompanhado de alguns porquês: sobre o que falar? Por quê? Com quem? Qual é a melhor maneira? Qual é o melhor cenário?

Vantagens da transmissão ao vivo

Checklist para uma live de sucesso

Apenas clicar na opção “ao vivo”, dentro dos stories, não basta para uma transmissão de sucesso. Mas, depois destas dicas, você com certeza saberá o que fazer na hora do bate papo ao vivo. 

SEO: afinal, o que é?

Search Engine Optimization, mais conhecido como SEO, é uma das principais estratégias do Marketing Digital. No primeiro contato o nome pode causar um pouco de estranheza, mas ele nada mais é do que o conjunto de técnicas para otimizar sites, blogs e outras páginas da web de maneira orgânica. Afinal, quem não deseja aparecer nas primeiras posições de busca do Google?

Os usuários não costumam passar da primeira página quando estão em busca de respostas, por isso é tão importante estar na primeira página. Para que sua empresa conquiste autoridade no mercado e aumente as vendas é necessário uma boa estratégia de SEO.

A cada segundo, milhões de pesquisas são feitas nos buscadores, principalmente no Google, o mais acessado do mundo. Em casa busca, o buscador procura organizar os conteúdos em um rancking que disponibilize as melhores respostas nas primeiras posições. 

A cada nova pesquisa sua marca tem a oportunidade de mostrar seu trabalho. Se suas respostas forem o que os usuários buscam, você pode aumentar o tráfego orgânico e ter mais resultados nas redes sociais. Mas, para isso, é necessário provar ao Google que merece estar nas primeiras posições de pesquisa da SERP (Search Engine Results Pages). 

Essa estratégia faz parte do SEO e o mesmo faz parte do SEM (Seach Engine Marketing), que engloba todas as estratégias para buscadores, inclusive anúncios pagos. Mas, por sua vez, o SEO realiza apenas estratégias orgânicas.

Com planejamento, assim como todas as outras atitudes dentro do marketing, Primeiro, é importante que você saiba que os resultados do SEO são de médio e longo prazo.

Abreviado em três letras, o SEO não é tão difícil quanto parece, mas as ações são dirigidas por diversas estratégias e necessitam de ferramentas específicas para que os resultados sejam alcançados. Para que sua empresa tenha presença de marca e aumente o engajamento orgânico, não são somente os anúncios pagos que são fundamentais para uma ampla e contínua comunicação. 

Mulheres no mundo do marketing: verdadeiras referências

Já foi o tempo em que as mulheres não tinham voz, não eram respeitadas somo seres individuais, eram atuantes apenas dentro do próprio lar e tinham como único trabalho cuidar da casa e da família. Segundo a 15ª edição da “Internacional Business Report (IBR) – Woman in Business 2019”, realizada pela Grand Thornton, o Brasil entrou na lista dos dez países com mais empresas que têm mulheres em cargos de liderança: 93% das marcas têm, no mínimo, uma líder mulher. 

Com o crescimento feminino visível no mundo dos negócios, nosso país ocupa a décima posição junto com os Estados Unidos. Embora estejamos acima da média global, 87%, a proporção das mulheres líderes no país é de 25%, 4% a menos que no ano de 2018. Dentre os diversos nichos em expansão, o marketing tem revolucionado o mercado, apresentado inovações e ditado tendências.  Por isso hoje trouxemos 6 mulheres do mundo do marketing que você precisa conhecer – e seguir nas redes sociais!

 Dona de um dos currículos mais reconhecidos da atualidade e rica em experiências profissionais, Martha, para quem faz parte do universo digital, é uma referência. Com seis livros publicados até o momento, um deles é o best seller “Marketing na Era Digital”. Formada em Engenharia, Marketing, Desing Gráfico e Artes ela coleciona títulos e conquistas: 

- 11 prêmios iBest.
- Mais de 70 palestras fora do país.
- Speaker TEDx – com cinco palestras abordando sobre Inteligência Artificial, Transformação Digital e Inovação.
- Artista com trabalhos expostos em feiras nacionais e internacionais. 

Fundação Roberto Marinho, Google, Gartner, Banco do Brasil, IBM e Coca-Cola são algumas das marcas que buscam suas consultorias para gestão, marketing, educação e carreira.

Sócia fundadora do Movimento Black Money, um hub de inovação para inserção e autonomia da comunidade negra no mundo digital. Natural de São Gonçalo (RJ) e com mais de 15 anos de experiência na área de Tecnologia da Informação, Nina foi considerada pela Forbes uma das 20 mulheres mais poderosas do Brasil e está entre as 100 pessoas negras mais influentes do mundo com menos de 40 anos. 

Empresas como Petrobrás, Heineken, L’oreal, Honda e ThougWorks já fizeram parte do currículo de peso da carioca, que além de especialista em TI é palestrante em eventos reconhecidos mundialmente e membro diretora da Federação das Mulheres Empresárias e Empreendedoras.

Formada em Marketing ela construiu uma trajetória repleta de sucesso e superações em importantes empresas como Nestlé, LG Eletronics e Samsung, onde é atualmente diretora de marketing. Em 2015, em parceria com agências de marketing, Elaine criou uma experiência inovadora para os consumidores da Samsung: através de esportes e músicas os usuários podiam interagir com a marca de maneira inesperada. A ação resultou em um prêmio da Ipsos como uma das empresas mais inovadoras considerando a relevância, liderança e presença de marca

No auge dos seus 68 anos ela é a responsável pela inovação e liderança do Magazine Luiza, que conta com mais de 1.000 lojas em 18 estados, 30 mil colaboradores e um dos e-commerces de mais sucesso no país. Luiza Helena ocupa o cargo de Presidente do Conselho Administrativo da empresa, foi considerada Top Influencer do Linkedin brasileiro no ano passado, é Presidente do Grupo de Mulheres do Brasil e foi a segunda brasileira escolhida para receber o prêmio “Person Of The Year”, criado há 50 anos pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos.

Natural de Curitiba (PR) e formada em Relações Públicas, Débora e as irmãs-sócias Bárbara e Julia Alcântara iniciaram um blog “Tudo Orna” em 2010, onde compartilhavam suas experiências mostrando um pouco da cidade que vivem. Da criação de conteúdo online elas expandiram para o universo de produtos autorais e o trio se tornou empreendedor. 

Débora é estrategista em gestão de marcas, Top Voice no Linkedin, palestrou no TEDx e também na associação brasileira de relações públicas. Em 2018 a irmã, Julia, entrou para a lista “Forbes Under 30”, na categoria empresarial, representando o Grupo Orna.

Orna, Tudo Orna, Orna Makeup, Orna Café e Efeito Orna são as empresas das irmãs Alcântara. Além da sociedade no blog, elas têm uma marca de bolsas, uma linha de cosméticos, uma cafeteria e uma escola de branding que tem como objetivo ajudar outras mulheres a empreenderem no país. 

Atualmente CEO da Lacoste no Brasil, cargo que assumiu em 2018, ela é uma das maiores CEOs do país. Nascida em São Paulo e com uma trajetória bastante humilde, ela tem um histórico profissional de peso, tendo atuado na liderança da Tiffany & Co., como CFO, na Pandora, como CEO, e como presidente do conselho consultivo da UNICEF no país.

Além da carreira de sucesso ela é colunista da Forbes, Cláudia e Raça, como também é membro do Conselho Geral do Consulado Dinamarquês e da Câmara de Comércio Dinamarquesa.

O tal do Tik Tok: o que é, afinal?

tik tok

 

Esses adolescentes... tudo o que eles fazem é cantar, dançar e gravar vídeos de si mesmos como se estivessem em um karaokê. A última moda dos vídeos é o TikTok, um aplicativo gratuito para iOS e Android especializado em vídeos de 15 segundos com orientação musical. Anteriormente conhecido como Musical.ly, o nome atualizado desse aplicativo de música é infinitamente mais atraente.

Os vídeos do TikTok podem apresentar gêneros musicais como hip-hop, EDM (música eletrônica de dança), pop, rock, rap e country, em categorias de vídeo como Dança, Comédia, Vlog, Comida, Esportes, Faça você mesmo (DIY), Animais e… várias outras . E só para deixar as coisas estranhas, alguns vídeos não têm música nenhuma. De acordo com o TikTok: "É cru, real e sem limites... crie o que te inspira", em 15 segundos.

De muitas maneiras, o TikTok é semelhante a outros aplicativos de vídeo pessoais por aí - você captura o que está fazendo, coloca alguns outros elementos (filtros, efeitos especiais, adesivos e música) e o publica online para que todos possam ver. Quando você cria uma conta, o algoritmo do aplicativo começa a selecionar um feed de vídeo personalizado direcionado especificamente para o seu gosto, com base no que você assiste, curte e compartilha.

Há muito para escolher. O Tik Tok hospeda literalmente milhões de vídeos reunidos de um corpo mundial de criadores selecionados especificamente para você e projetados para manter os olhos colados na tela. E também tem algum conteúdo comercial, claro. Até agora, a fórmula parece estar funcionando. Você pode não gostar de todos os vídeos, mas é fácil deslizar o dedo na tela para passar para o próximo e é difícil desviar o olhar depois de começar.

Os vídeos são atraentes porque são curtos: duram apenas 15 segundos e são repetidos em um loop contínuo. Você pode adicionar efeitos sonoros e músicas aos seus vídeos e editá-los com milhões de clipes e sons isentos de direitos autorais. As ferramentas de edição permitem cortar, mesclar e duplicar clipes de vídeo com facilidade, além de adicionar adesivos de rosto, emojis e efeitos de embelezamento. O Tik Tok atualiza continuamente seus filtros de transmissão ao vivo com novos designs criativos. Dito isso, os resultados estão por todo o lado, desde a exibição de talentos óbvios e momentos preciosos - que podem ser muito divertidos - até vídeos tão peculiares que são quase inatingíveis.

 

Contas profissionais do Tik Tok

O TikTok agora diferencia entre seus colaboradores regulares e mais prolíficos, permitindo que os usuários interessados ​​visualizem suas estatísticas de desempenho por meio de contas de nível profissional. Essas contas especiais foram criadas para fornecer aos colaboradores mais informações sobre seu desempenho on-line e como o público está respondendo aos vídeos. As contas profissionais fornecem uma ferramenta de análise para avaliar melhor o desempenho e o envolvimento do público.

 

Em resumo...

O TikTok é um mercado movimentado, cheio de criatividade, com um apelo específico aos jovens musicais. É puramente um veículo de entretenimento para qualquer pessoa, gratuitamente. Novos procedimentos de privacidade estabelecidos neste ano devem ajudar todos os usuários a controlar melhor seu ambiente e interações com o resto da comunidade TikTok e proteger especificamente crianças menores de 13 anos de idade de conteúdo inapropriado e comportamento predatório.

Seu público faz parte desse aplicativo? Comece a utilizar o Tik Tok e entender na prática como ele funciona. Sabemos que manter-se onde nosso público alvo está é a maior garantia de que iremos atingí-lo. Quem sabe o Tik Tok será uma moda passageira, quem sabe não será... O jeito é esperar para vermos. Mas, enquanto isso, devemos estar onde podemos ser vistos! Dessa forma, comece a criar uma estratégia, aplique-a da melhor maneira possível e não perca o timing!

Transformação digital: 3 verdades desconfortáveis ​​em 2020

transformação digital

Tem grandes planos de transformação digital para esse ano? Esses obstáculos já podem estar retardando o seu progresso. Veja como superá-los:

É um novo ano e uma nova década - e para muitos de nós, isso traz emoção e otimismo. Mas a transformação digital em 2020 traz consigo alguns obstáculos.

O sucesso deste ano exigirá a análise de algumas verdades desconfortáveis ​​sobre o que realmente está diminuindo - ou até parando - o progresso digital. Três questões estão travando a transformação digital, e aqui está outra verdade: a maioria das organizações sofre com alguma versão das três.

 

Vamos lá:

 

  1. Você não tem as pessoas de que precisa para a transformação digital - e não pode comprá-las.

As organizações encaram a questão do talento digital como uma nova e empolgante receita: sabem que não podem cozinhar com o que têm na cozinha, mas podem comprar os ingredientes. O problema é que hoje o mercado de talentos digitais é mais um supermercado antigo do que um moderno:

Não há muito nas prateleiras. Mesmo com um orçamento ilimitado, certas populações de talentos são altamente evasivas, especialmente em cidades menores.

 

O que podemos fazer?

Simplifique e priorize de forma implacável suas necessidades de talento digital. Do que você realmente precisa e quem é a pessoa menos qualificada que pode fazer isso?

Mapeie as lacunas usando dados - e considere habilidades e comportamentos. É fácil subestimar as populações que você já emprega - e desconsiderar o papel da agilidade na aprendizagem. Você pode recrutar melhor um aluno altamente fluido com 20% das habilidades atuais necessárias do que um indivíduo passivo, orientado por processos, com 80% das habilidades necessárias. É fundamental saber com base em fatos quem é quem.

 

  1. Os empregos serão fluidos nos próximos anos... no mínimo.

Novos empregos e novos cargos surgem constantemente e continuam se transformando, com as organizações freneticamente escrevendo e reescrevendo descrições de cargos, mesmo quando os funcionários desenvolvem suas funções em algo completamente diferente. Como resultado, um exercício extremamente valioso - capturar como o trabalho está se transformando - se torna difícil com mais frequência do que gostaríamos de admitir.

 

O que podemos fazer?

Pense no que as equipes de indivíduos precisam realizar - de maneira agregada - e forneça a elas orientações suficientes sobre como dividir o trabalho para fazê-las funcionar.

A taxa de mudança no trabalho digital está pronta para acelerar, não para diminuir. Portanto, verifique se seus sistemas e processos em torno de tarefas e funções podem acomodar mudanças constantes - e uma abordagem de "produto mínimo viável" para capturar o que está em uma tarefa a qualquer momento.

 

  1. A diferença de entendimento entre os negócios e os líderes de TI nunca foi tão grande.

Agora, mais do que nunca, a TI e os negócios precisam de um idioma compartilhado - o trabalho que está sendo feito é cada vez mais integrado.

Os líderes de TI adotaram um léxico totalmente novo para acompanhar o progresso tecnológico rápido e não linear, e os líderes de negócios geralmente não têm o vocabulário necessário para transformar os desafios de negócios em questões tecnológicas bem estruturadas. Nos dois lados, a pressão constante para agir como um “líder da próxima geração” (sem a capacidade certa de fazê-lo) geralmente leva os líderes a se calarem e a não fazer as perguntas certas.

 

O que podemos fazer?

Faça da comunicação simples e informal a regra, não a exceção. Não há vergonha em dizer que as comunicações internas da sua organização - escritas ou faladas - devem ser escritas de modo que um aluno do ensino médio possa entendê-las, reduzindo drasticamente o risco de mal-entendidos. Além disso, converse informalmente e em tempo real o mais rápido possível. As pessoas que se comunicam regularmente - e se sentem seguras fazendo perguntas, especialmente em pequenos grupos ou individualmente - se entendem melhor.

Você já notou alguma dessas tendências em seu local de trabalho? Se a resposta for sim, é hora de agir e fazer o melhor que puder com a situação!

Caso tenha percebido uma tendências além das que mencionamos aqui, compartilhe com a gente nos comentários!

Pinterest: 4 dicas para melhorar sua presença na plataforma

pinterest

 Caso você não esteja familiarizado com o Pinterest, ele é um canal de mídia social que permite aos usuários salvar imagens de qualquer lugar da Web em coleções temáticas, chamadas de quadros de pins. É basicamente uma ferramenta elaborada de favoritos visuais - mas é muito mais do que isso.

Embora sua interface seja diferente das SERPs do Google, ele também é um enorme mecanismo de pesquisa visual.

Reunimos dicas importantes para praticar no Pinterest se você está começando a criar sua comunidade na plataforma.

Então, vamos ver as 4 melhores práticas para o crescimento do seu Pinterest:

 

1: Use fotos nítidas, atraentes e inspiradoras

Os usuários do Pinterest são mais propensos a clicar em uma foto que representa o que eles querem que sua vida seja.

Para tirar proveito disso:

Use fotos profissionais de seus produtos, em vez de tirar uma foto rápida com seu celular.

Faça um esforço e orçamento extras para estilizar o conteúdo da sua foto. Isso pode significar um decorador de interiores, estilista de alimentos, moda ou acessórios.

Frequentemente, mas nem sempre, adicione um elemento humano na foto. Por exemplo, não compartilhe apenas uma foto de um chapéu, mas uma modelo bem vestida com o mesmo chapéu.

A verdade é que as fotos da vida real não se saem tão bem no Pinterest quanto as fotos com estilo profissional, então, vale a pena investir na produção!

 

2: Adicione texto aos seus pins, quando apropriado

O Pinterest apresenta imagens no formato "feed", como uma coleção de imagens pelas quais os usuários navegam.

Seja um feed doméstico que um usuário visualiza quando faz o primeiro login ou um grande conjunto de resultados de pesquisa, o Pinterest nunca mostra a imagem do usuário por conta própria. Se alguém estiver percorrendo o feed e observando as imagens, provavelmente verá apenas a sua imagem por uma fração de segundo.

Nesse curto período de tempo, sua imagem precisa chamar a atenção o suficiente para que eles parem de rolar e cliquem. A maioria das imagens não pode fazer isso por conta própria, pelo menos não em uma fração de segundo. É por isso que, na maioria dos casos, é melhor adicionar algum texto para atrair ainda mais o usuário a clicar no pin do seu site.

Isso é especialmente útil com pins que representam processos, como receitas, planos de refeições e exercícios.

 

3: Use hashtags na descrição do seu pin

É isso mesmo: faz tempo que as hashtags não são mais apenas para o Twitter.

O Facebook e o Instagram aderiram à tendência de hashtag, e o Pinterest seguiu o exemplo em meados de 2017.

Embora as hashtags tenham recebido críticas mistas de usuários experientes do Pinterest, elas são realmente um grande trunfo, especialmente para novas contas.

Vamos voltar e falar sobre como o seu pin, uma vez adicionado à sua conta, é visto no Pinterest:

Primeiro, o Pinterest mostrará a alguns de seus seguidores. Depois de fixar uma nova imagem, o Pinterest pode testar sua relevância e interesse, mostrando-a a um grupoo de seus seguidores ou a pessoas que pesquisam uma palavra-chave que aparece na descrição do seu pin. Com base na quantidade de engajamento (salvamentos, repins e cliques no site original) que ele recebe, o Pinterest determinará o valor do pin.

Segundo, o Pinterest mostrará aos seguidores de seus seguidores. Se o seu pin foi interessante o suficiente, o Pinterest depositará essa imagem nos feeds dos seguidores de seus seguidores. Se eles salvarem o pin, o processo continua.

Terceiro, seu pin pode se tornar viral. Isso basicamente significa que seu pin continua sendo mostrado e repassado por seguidores de seguidores e assim por diante. Você entendeu a ideia.

Seu pin aparece nos resultados de pesquisa ou nos feeds de categoria para pessoas que podem ou não segui-lo. O Pinterest usará a atividade de engajamento para determinar a importância de um determinado pin e, por sua vez, apresentá-lo em resultados de pesquisa relevantes e coleções de categorias / navegações mais próximas da parte superior, se achar que é um pin mais relevante (ou seja, mais popular).

 

4: Dimensione seus pins corretamente

Este é um pequeno detalhe que faz uma grande diferença, especialmente se você está fazendo sua conta crescer do zero.

O Pinterest prefere imagens verticais com as dimensões 600 pixels de largura x 900 pixels de altura. Essas são as dimensões que eles decidiram que serão visíveis nos feeds das pessoas.

Portanto, se você criar pins menores ou horizontais, perderá um lugar valiosos nos feeds de seus seguidores, tornando um pouco mais difícil se destacar entre as milhares de outras imagens que eles estão visualizando.

Mas se seus pins forem maiores, a imagem será menos provável de ser vista e poderá ser cortada nos feeds dos usuários (especialmente em dispositivos móveis; até 80% dos usuários do Pinterest estão em dispositivos móveis).

Portanto, para as melhores chances de seus pins ficarem totalmente visíveis, use imagens verticais de 600x900px!

Colocando em prática estas 4 dicas, você já estará começando bem e criando uma boa base para continuar construindo sua comunidade no Pinterest.

Tendências do Instagram: As 3 maiores Para 2020

As tendências do Instagram se renovam, em sua maioria, todos os anos.

2019, por exemplo, acarretou grandes mudanças para a rede social. Talvez a maior tenha sido ocultar as curtidas, tendo começado como um teste em meados da metade do ano e, agora, algo em comum para todos os usuários da rede social.

Outras alterações incluíram anúncios compráveis, publicações feitas a partir do site desktop da plataforma para feed e IGTV, novos stickers de chat e a opção de mudar para uma conta de Criador de Conteúdo.

Foi um ano movimentado em nossa plataforma favorita e 2020 promete atualizações ainda mais animadoras.

Portanto, sem mais delongas, vamos mergulhar nas 3 principais tendências do Instagram para ficar de olho em 2020 e que irão manterão você sempre à frente. 

Esta é uma das tendências do Instagram que não pára de crescer!

Tendências do Instagram: veja como vai ser seu 2020 na plataforma

Tendência #1: O crescimento contínuo do Instagram Stories e IGTV

No início deste ano, o Instagram anunciou que começaria a esconder curtidas no conteúdo do feed principal. Essa mudança controversa gerou muita discussão sobre o impacto no marketing de influenciadores, com alguns usuários comemorando (como Kim Kardashian) e outros nem tanto.

Quaisquer que sejam as reais razões por trás da mudança, elas se correlacionam com o aumento do foco do Instagram no IGTV e nos Stories. Se os usuários estiverem menos preocupados com o número de curtidas que o conteúdo do feed principal obtém, eles podem considerar tentar algo novo. Como vídeo, por exemplo.

E adivinha? Não há métricas voltadas ao público no Instagram Stories e, no entanto, é onde a maioria do seu público passa o tempo. Em maio de 2018, foi relatado que o Stories estava crescendo 15 vezes mais rápido que os feeds e, em janeiro de 2019, 500 milhões de pessoas estavam usando o Instagram Stories todos os dias.

Em termos de IGTV, 2020 será o ano em que veremos se ele realmente decola ou não. Embora o Instagram não tenha divulgado publicamente números de engajamento ou audiência do IGTV, várias marcas estão usando a opção no aplicativo com resultados positivos.

Por exemplo, depois de um ano compartilhando vídeos editados do YouTube no IGTV, a editora Condé Nast está retornando ao aplicativo com cinco novas séries IGTV espalhadas por diferentes marcas, incluindo Vogue e GQ. Isso acontece por trás com base em uma série para IGTV produzida e distribuída pela Condé Nast Traveler que incorporou com sucesso o patrocínio pago da Amex.

Será interessante ver o desempenho dessas séries para a Condé Nast nos próximos meses e se outras marcas seguirão o exemplo.

O que você pode fazer para se preparar:

Se o Instagram Stories não fizer parte da sua estratégia de conteúdo, comece por aí.

Não há melhor maneira de criar relacionamentos íntimos com o seu público; pense nas maneiras de criar histórias que agreguem valor e criem confiança. Podemos categorizar o Instagram Stories de duas maneiras: histórias baseadas em valor e histórias pessoais.

Histórias baseadas em valor são informativas e com estilo. As histórias pessoais levam os espectadores um pouco mais fundo no mundo da sua marca.

Embora o júri ainda não tenha decidido se mais consumidores adotarão o IGTV, não descarte a ideia se você acha que seu público-alvo pode estar consumindo conteúdo dessa maneira.

E se você pensa que está, comece devagar e faça um lançamento piloto. Crie 2 a 4 vídeos ao longo de algumas semanas ou meses e analise os resultados.

 

Tendência #2: Marcas que ultrapassam limites criativos

O fato de o Instagram ter começado a ocultar curtidas para todos os usuários ao redor do mundo gerou um impacto positivo na criatividade.

Antes, muitas marcas priorizavam a métrica superficial de número de curtidas sobre conteúdo criativo e significativo e relacionamentos genuínos. Mas, com o foco não estando mais nas curtidas, as marcas e os criadores podem canalizar esse tempo e energia para a criação de conteúdo mais interessante sem se preocupar se conseguirão um certo número de likes.

Todos conhecemos algumas das postagens clichês do Instagram: paredes coloridas, pratos de comida, fotos na academia...

Esse tipo de conteúdo é compartilhado repetidamente porque pode ser uma maneira fácil de obter curtidas. Ele é familiar, mas 99% do tempo não está desafiando limites criativos.

Com as curtidas ocultas, já vimos ser bem possível que marcas e indivíduos compartilhem os tipos de conteúdo que eles realmente desejam compartilhar em vez dos tipos de conteúdo que sabem ser mais agradáveis ​​para um público amplo. Este passou a ser um momento de grande mudança para a criação de conteúdo no Instagram.

O que você pode fazer para se preparar:

Como sempre, seu público-alvo e o que ele quer e precisa deve estar no centro da sua estratégia de conteúdo. Considerando este ponto, pense em como você pode elevar seu conteúdo para que seja mais interessante e envolvente do que o de seus concorrentes.

Você também não precisa começar do zero. Analise seu conteúdo até o momento para ver qual foi o melhor desempenho e pense em maneiras de aprimorá-lo.

Você pode ampliar os limites da sua fotografia ou experimentar novos tipos de conteúdo, como carrosséis, vídeos e stop motion. 

Essa é uma das tendências do Instagram que mais irá desafiar que publica na plataforma!

 

Tendência #3: Experimentar formatos de anúncio inovadores

À medida que o alcance orgânico do Instagram diminui, faz sentido que a plataforma aprimore seus recursos de anúncios para incentivar marcas e empresas a mergulhar na publicidade paga.

Vimos o Instagram introduzir sobreposições compráveis ​​nas postagens da grade em 2019, e uma das tendências do Instagram que provavelmente veremos em 2020 são os formatos inovadores de anúncios entre Stories e IGTV.

Um desses formatos de anúncio serão os novos anúncios de teste "AR" que o Instagram está testando com marcas selecionadas que vendem produtos na plataforma. Esses anúncios são experiências interativas que permitem aos usuários interagir virtualmente com o produto anunciado e ver como ele funciona.

Com 30% dos usuários dizendo que compraram um produto descoberto no Instagram, o AR é uma grande oportunidade para tornar os produtos mais demonstráveis ​​e, portanto, aumentar as vendas. Especialmente se você considerar a capacidade de compartilhamento dos filtros AR.

O simples filtro de AR das orelhas de Mickey e Minnie da Disney era super compartilhável, espalhando o reconhecimento da marca e provocando conversas e experiências entre amigos. Isso pode ser extremamente valioso para as marcas quando você adiciona o comércio eletrônico ao mix.

Por enquanto, as marcas de beleza Mac e Nars são parceiras desde o início, bem como as empresas de óculos Warby Parker e Ray-Ban. Mas não demorará muito para que este novo recurso seja lançado também para outros produtos.

O que você pode fazer para se preparar:

De acordo com a Adweek, os anúncios de RA estão se saindo muito bem em marcas como NBA, Gucci e Wayfair, com taxas de conversão que variam de 20 a 80%.

Mas não espere que todos os outros comecem a usar anúncios AR antes de você. Se a publicidade de AR fizer sentido para sua marca, crie uma estratégia e comece a testar os recursos. Ser um dos primeiros a adotar poderia resultar em enormes recompensas.

Aí está! Estes são as três maiores tendências do Instagram (por enquanto) que irão influenciar o mundo da rede social este ano.

À medida em que a plataforma continua a crescer, novos recursos serão adicionados e as alterações serão feitas com frequência, por isso é importante manter-se atualizado para que você possa ajustar sua estratégia adequadamente.

Marketing Digital em 2020: as 5 maiores tendências

Marketing Digital em 2020

Marketing Digital em 2020

O cenário do marketing digital está mudando constantemente.

Se está desatualizado quanto as tendências de marketing digital em 2020, está limitando sua marca nos quesitos alcance e repetição. Se quiser, você pode ignorar essas novas tendências, mas seu público alvo - e seus concorrentes – não irão. Por isso, selecionamos na lista abaixo alguns trends para ficar de olho durante esse ano.

Veremos novas tendências de marketing digital em 2020 ao lado de algumas tendências mais antigas e contínuas que ainda são eficazes:

Chatbots - assistência pessoal sem o pessoal; A tecnologia nesse ano dá nova vida aos chatbots, tornando-os mais convincentes - e populares - do que nos anos anteriores.

Pesquisas por voz - à medida que mais pessoas usam assistentes digitais como Alexa ou Siri, o SEO se inclina ainda mais para o lado das pesquisas por voz, com palavras-chave baseadas em como as pessoas falam, em vez de como digitam.

Marketing de vídeo - com a hospedagem de vídeos cada vez mais fácil, a cada ano vemos vídeos de marca mais bem-sucedidos e ambiciosos online (incluindo vlogs, como consta em nossa lista abaixo).

Mas você já conhecia essas tendências. Agora, fique com:

As novas tendências de marketing digital em 2020

  1. Posts compráveis (comércio social)

Por um longo tempo, as empresas se perguntaram como fazer com que seus seguidores nas mídias sociais visitassem suas lojas online. Agora, elas não precisam mais.

Comércio social refere-se à compra de produtos diretamente por meio de postagens ou anúncios de mídia social. Você não precisa sair do site ou aplicativo. Essas postagens não são exatamente novas, mas desde que o Instagram Checkout foi lançado em 2019, elas estão recebendo cada vez mais atenção, e rapidamente.

 E porque não? As postagens de compras nas mídias sociais fazem sentido. Pelo menos 54% das pessoas nas mídias sociais as utilizam para pesquisar produtos. O objetivo é criar menos etapas para seus compradores, e não mais, portanto, vender diretamente nas mídias sociais diminui as chances de abandono de carrinho.

Você nem precisa ser uma marca de comércio eletrônico. Enquanto vender produtos, mesmo que apenas algumas peças de marca, pode obter retornos maiores ao permitir transações pelas mídias sociais.

  1. Análise de sentimentos

Grande parte da comunicação humana é tentar descobrir o que o outro está pensando. E embora centenas de milhares de anos de avanço biológico não tenham nos ajudado muito a entender um ao outro, depois de apenas alguns anos de tecnologia com capacidade de aprendizado já estamos progredindo.

A análise de sentimentos, ou escuta social, é a prática de analisar as reações de usuários e clientes a um produto ou serviço, normalmente nas mídias sociais ou em outros lugares online. As críticas e postagens online nem sempre são "Eu gosto / não gosto disso", como se fosse preto e branco. Há uma grande área cinzenta com graus variados no meio. Talvez um usuário goste do produto como um todo, mas um recurso em particular atrapalha. Talvez o produto seja bom, mas não o que eles estavam esperando.

A análise de sentimentos geralmente envolve ferramentas e algoritmos de coleta de dados para vasculhar as respostas online à sua marca e avaliá-las. Novamente, essa não é uma nova tendência de marketing digital em 2020, mas a nova tecnologia está tornando-a mais popular do que nunca. Os avanços no processamento de linguagem natural permitem que os computadores entendam o significado por trás do que os humanos dizem online, incluindo gírias e emojis.

Ferramentas de análise de sentimentos como o Lexalytics revelam o que as pessoas realmente pensam sobre sua marca. Você pode usar esses dados para ajustar não apenas seus produtos, mas também suas estratégias de vendas, marketing, mídia social e conteúdo.

  1. Canais de mídia social alternativos e de nicho

Apesar do otimismo em relação aos ganhos mais recentes do Facebook, os contínuos declínios no crescimento do usuário e na opinião pública abalaram a confiança no domínio da plataforma. Da mesma forma, o Twitter está vendo um platô semelhante em crescimento, levando a uma mudança de poder.

Para esclarecer, o Twitter e o Facebook permanecerão ferramentas úteis de marketing digital em 2020 e além. Mas o êxodo já começou.

Canais alternativos de mídia social já estão percebendo novos interesses e níveis promissores de crescimento. Se você puder começar a desenvolver sua presença nesses sites "secundários" agora, provavelmente será recompensado mais para a frente conforme eles continuarem a aumentar.

  1. Vlogging

Vlogs de marca: maldição ou bênção?

Com o sucesso contínuo do YouTube, Instagram Stories e Snapchat, os blogs de vídeo estão mais populares do que nunca. Ao contrário de outros tipos de vídeo, como vídeos explicativos ou curta-metragens, os vlogs são mais pessoais e diretos. Os vloggers conversam diretamente com o espectador (estilo PewDiePie, que possui o canal no YouTube com mais seguidores no mundo), criando uma conexão mais pessoal e direta - obviamente um grande benefício para os profissionais de marketing que tentam estabelecer relacionamentos mais fortes com seus clientes.

Mais do que reclamar sobre como o garçom estragou seu pedido, os vlogs também podem ser práticos e estratégicos. Você pode transmitir ao vivo eventos especiais aos quais nem todos têm acesso, como uma conferência de negócios ou um show. Você também pode postar outro conteúdo caseiro que seus clientes gostariam de ver de qualquer maneira, como entrevistas com celebridades ou espiada nos bastidores.

À medida que o marketing de vídeo continuar a aumentar, provavelmente veremos mais subcategorias, como os vlogs, surgindo. Aprender a diferenciar seu conteúdo de vídeo agora ajudará a acomodar tendências futuras.

  1. Conversando com a Geração Z em sua própria linguagem

Por último, mas não menos importante, os profissionais de marketing de 2020 estão dando as boas-vindas ao último grupo de consumidores, a Geração Z. Os nascidos logo após a virada do século estão agora completando 18 anos e ingressando na força de trabalho em massa. Algumas fontes afirmam que a geração Z representará 40% de todos os consumidores em 2020.

Entre outras coisas, o marketing para a geração Z significa uma mudança acentuada na maneira como você estiliza seu conteúdo. O mercado mais jovem também é o mais peculiar, com gostos que podem parecer estranhos se você estiver acostumado a fazer marketing para Boomers ou Geração X. O marketing digital em 2020 se desvia cada vez mais dos gostos mais "tradicionais" destas gerações.

Se a Geração Z for um dos seus principais mercados, veja uma lista rápida de seus valores gerais:

Autenticidade

Tendo crescido online na era da desinformação, a Geração Z é muito sensível à autenticidade e pode perceber quando está sendo enganada - evite abordagens excessivamente promocionais e opte pela transparência.

Privacidade

A preocupação com a privacidade é muito importante para a Geração Z; portanto, respeitar seus dados é mais certeiro do que usá-los contra eles.

Diversidade

A geração mais diversificada ainda aprecia a diversidade refletida nos vídeos e nas imagens que vê online.

Senso de humor

O humor da geração Z já foi descrito como "estranho" e outros eufemismos menos educados. Portanto, se você não o entende, contrate alguém que o faça.

Os profissionais de marketing observam as semelhanças entre a geração Z e a geração dos Millenials, mas à medida que o mercado da geração Z amadurece nos próximos anos (de várias maneiras), a probabilidade é de que surjam ainda mais diferenças.

As próximas tendências de marketing digital em 2020 são, paradoxalmente, mais humanas e mais mecânicas. Parece que a atração geral do marketing digital vai na direção de relacionamentos mais pessoais com nichos mais direcionados, mas os meios para fazer essas conexões dependem da automação e das novas tecnologias. O coração do marketing digital permanece o mesmo - entregar às pessoas o que querem, quando e onde querem - e a tecnologia em 2020 está abrindo novas portas para chegar lá.

6 Tendências de E-commerce Para 2020

Até o final de 2019, a estimativa do valor total das vendas no varejo de e-commerce estava previsto em US$3,4 trilhões! No setor de comércio eletrônico altamente competitivo, a relevância precisa ser uma prioridade. Um dia você está em alta, no outro, em baixa. As empresas de e-commerce devem estar constantemente atentas às formas de manter sua marca e produtos diante dos olhos de seus clientes.

Uma das melhores maneiras de fazer isso é simplesmente ficar alerta e atualizado quanto as tendências do comércio eletrônico.

Por fim, quando se trata de testar tendências, é importante garantir que todas as alterações feitas sempre estejam melhorando as coisas para os seus clientes.

Dito isto, atualmente existem algumas tendências significativas do e-commerce que todo empreendedor online deve conhecer (e considerar tirar proveito).

Vamos falar das maiores.

  1. O Google está se tornando um mercado online

A menos que sua marca seja super conhecida, é provável que a maioria dos seus clientes chegue ao seu site por meio de pesquisas orgânicas ou pagas por itens que sua loja oferece. Portanto, para colocar seus produtos na frente de mais clientes, você deve otimizar o Google Shopping. Ele é um canal de vendas muito poderoso - e pode ser um incrível truque de SEO para lojas de e-commerce.

A integração da sua plataforma de comércio eletrônico ao Google Shopping irá criar um anúncio de lista de produtos, que irá cobrir automaticamente as SERPs na guia Compras quando um cliente pesquisar um produto que corresponda à sua loja. Esta é uma notícia interessante para as lojas de comércio eletrônico que vendem produtos de nicho.

Falando nisso, um estudo de caso recente descobriu que o Google Shopping ajuda a aumentar as conversões em mais de 17%.

O processo de instalação também é bastante simples. Você só precisa ir ao Google Merchant Center para se inscrever e, se sua loja online atender aos requisitos de anúncio, poderá começar a anunciar por meio deste canal que, por sinal, é lucrativo.

  1. Os clientes de e-commerce estão comprando nas mídias sociais

Atualmente, mídias sociais são muito mais do que apenas curtidas, compartilhamentos e fotos de cachorros fofos. Muitos canais sociais estão se transformando em mini-mecanismos de pesquisa próprios - e 55% dos compradores de e-commerce compraram um produto diretamente através da publicação social de uma marca.

Atualmente, muitas plataformas estão facilitando a venda direta de lojas de comércio eletrônico diretamente em suas páginas sociais, com links incorporados. Isso significa que os clientes podem clicar em produtos específicos em uma postagem e ser direcionados diretamente para uma página do produto, facilitando muito o aumento das compras por impulso por meio da publicidade online.

  1. AR e VR estão se tornando mais comuns

Um dos maiores desafios que as lojas e-commerce sempre enfrentaram é o fato de seus clientes não poderem ver o produto antes de comprá-lo. Isso dificulta a venda de roupas, móveis e outros acessórios que as pessoas desejam visualizar antes de comprar.

AR e VR estão ajudando a resolver esse problema, permitindo que os clientes experimentem virtualmente produtos sem tocá-los fisicamente. Empresas como a Warby Parker lançaram um aplicativo que usa AR para que os clientes possam experimentar diferentes óculos antes de fazer o pedido.

A Amazon e a Ikea também usam tecnologia semelhante para que os compradores possam testar como as peças de mobiliário ficarão em suas próprias casas.

As lojas de comércio eletrônico devem observar as maneiras pelas quais a tecnologia está revolucionando a experiência do cliente e considerar investir nesses sistemas digitais.

  1. Produtos personalizáveis ​​são um grande sucesso

A personalização passará para o próximo nível com produtos totalmente personalizados para o indivíduo. Muitas lojas de e-commerce estão aproveitando o conteúdo interativo - como questionários e pesquisas - para criar produtos totalmente personalizados que atendem às necessidades ou preferências de cada um.

Uma área em que essa tendência é especificamente predominante é na saúde e bem-estar. Lojas como a Curology e Gainful criam linhas de produtos totalmente personalizadas com base nas necessidades e objetivos de saúde do indivíduo, enquanto marcas como a Native usam um questionário interativo para criar um perfil de perfume personalizado que as pessoas podem comprar, como desodorante ou sabonete líquido.

  1. Opções flexíveis de pagamento para grandes compras

Se os produtos da sua loja tendem ir para o lado mais caro, pode ser difícil converter novos clientes simplesmente por eles considerarem essa compra um investimento arriscado. Uma tendência do comércio eletrônico que pode ajudar a combater isso é oferecer opções flexíveis de pagamento por meio de sistemas como Paypal.

Esses serviços dividem automaticamente grandes compras em pagamentos iguais menores ao longo de vários meses - tornando as compras grandes um pouco mais fáceis de pagar. Na verdade, os varejistas que oferecem Paypal especificamente viram as taxas de conversão aumentarem entre 20% a 30%.

  1. Empresas e consumidores estão se tornando mais ambientalmente conscientes

Preocupar-se com a Terra não é mais apenas para quem abraça árvores ou para millennials. Atualmente, a maioria dos consumidores está muito mais consciente sobre seu impacto ambiental e deseja apoiar as empresas que estão fazendo o seu melhor para reduzir as pegadas de carbono.

87% dos consumidores concordaram que estariam mais propensos a comprar um produto de uma marca que oferecesse um benefício social ou ambiental - dando às empresas mais um motivo para se buscarem a sustentabilidade.

Muitas marcas de comércio eletrônico estão fazendo o possível para reduzir o desperdício de remessas usando materiais reciclados ou biodegradáveis - como pacotes de amendoins que se dissolvem na água. Algumas empresas estão sendo super criativas nesse quesito - como a Banish Skin Care, marca americana que envia produtos embrulhados em meias de marca (em vez de plástico bolha) para reduzir o desperdício.

Conclusão

Embora as tendências venham e venham de forma inerente, é importante que as empresas de comércio eletrônico prestem atenção às que estão causando impactos significativos na experiência e nas conversões do cliente. Embora essas tendências possam mudar e evoluir com o tempo, muitas lojas online estão obtendo retornos incríveis ao capitalizá-las.

Comente: quais dessas tendências mais recentes você pretende testar?